Briga de gigantes: Ambev supera a Vale em valor de mercado.

O que estamos vendo agora é sim uma briga apertada para ver quem vais ser a 2ª maior empresa de capital aberto em valor de mercado do Brasil e só está começando.
É fácil pensar em duas empresas  que são referencia para todos brasileiros, logo pensamos Petrobras e Vale. Pensou nas maiores empresas no Brasil logo pensamos sem hesitar: com certeza Petrobras e Vale! Mas parece que nós temos uma nova intrusa nesse meio. A Ambev  vem nos últimos dias assumindo a posição de segunda maior empresa do Brasil em valor de mercado. E apesar de todos reconhecermos o tamanho e a solidez da Ambev é sim um fato surpreendente para a maioria dos brasileiros.
Para muitos é uma situação inesperada, mas essa inversão vem se ensaiando a um tempo. Os valores de mercado da Vale se estabilizaram enquanto os valores da Ambev seguem em uma crescente. Pelos preços de fechamento das ações da AmBev (AMBV4) e Vale (VALE5) ontem, 14 de março, a cervejaria tornou-se a segunda maior empresa em valor de mercado do Brasil deixando a mineradora em terceiro lugar. Essa situação não acontecia a 10 anos e a poucos dias atrás, 9 e 12 de março, a Ambev esteve na frente da Vale em dois pregões e por dois dias consecutivos a frente da mineradora. Logo em seguida a Vale recuperou seu posto em 13 de março, mas ontem a “casa caiu” novamente e a Ambev voltou fechar o pregão na frente da Vale. O que estamos vendo agora é sim uma briga apertada para ver quem vais ser a 2ª maior empresa de capital aberto em valor de mercado do Brasil e só está começando. Agora é acompanhar e ver o resultado dessa briga de gigantes. (Por Yuri Gonçalves Campos)

Cenário:
 A AmBev fechou ontem com valor de mercado de quase R$234 bilhões, enquanto a Vale registrou R$220 bilhões. A Petrobras (PETR4) continua com no topo do pódio valendo em torno de R$320 bilhões. A situação é pouco comum para a Vale uma das maiores empresas do País que é uma das responsáveis pela boa imagem do pais e por boa parte do superávit de nossa nação. Uma análise superficial pode tentar explicar o motivo: enquanto as ações da AmBev rompem seu topo histórico de preços, os papéis da Vale estão presos em uma faixa de oscilação entre R$36 e R$45 há quase um ano, absorvendo as incertezas da economia mundial. (ADVFN).